Ao longo dos últimos 20 anos, o espaço competitivo para os mercados transformou-se em um espaço “figital”, que engloba três dimensões: física, digital e social. Essas mudanças também estão provocando rupturas na educação, que deve passar por grandes transformações nas próximas décadas em seus mecanismos de formação, no processo educacional e no modelo de negócios. Para discutir essas questões o cientista e professor Sílvio Meira participou do evento “Futuros figitais e as rupturas na educação”. Segundo Meira, a educação não vai ficar à parte das mudanças causadas pelas mudanças do analógico para o figital e, até 2040, essa transição vai proporcionar ofertas de oportunidades de aprendizado de qualidade inovadoras e figitais com cobertura cada vez maior e custos cada vez menores.

Postado originalmente no Canal Instituto de Estudos Avançados IEA-RP/USP, em 25/01/2022.