por Silvio Meira

Taginovação

diagramas para entender, criar, inovar e empreender: 3

d

quando esta série sobre diagramas para criar, inovar e empreender começou, o plano era ter um livro sobre o tema pronto aqui em maio. do jeito que está indo, levada por um susto aqui, um sobressalto ali, o novo maio fica pelo menos no ano que vem. e olhe lá. mas não há tanta pressa assim, e a gente vai aprendendo mais coisas no caminho. e o caminho...

qual é o PROBLEMA da educação?

q

a galera da ciaTech soluções digitais gravou, comigo, mais ou menos no fim do ano passado, uma reflexão sobre o estado da arte e prática da educação [também no brasil], pra provocar um debate que estavam fazendo em são paulo [o CiaClass SapiênCia] e pra onde eu não pude ir. a gravação rolou na FGV DIREITO RIO...

diagramas para entender, criar, inovar e empreender: 1

d

a imagem que fechou o primeiro texto desta série, mostrada abaixo, tem todo o jeito de um diagrama de venn, forma gráfica criada pelo filósofo inglês john venn para mostrar as relações entre coleções de conjuntos. claro que diagramas de venn não têm as setas [duplas] mostradas na imagem, que dão uma ideia de movimento… e, para ser um diagrama de venn, a imagem teria que ter uma interseção entre...

de dentro pra fora da caixa… digital

d

uma das mais insistentes e, hoje, quase ingênuas metáforas que se usa para falar de criatividade e inovação é um certo pensar fora da caixa. como se um negócio ou instituição qualquer fosse uma caixa e, para pensar de forma ortogonal à corporação e tentar mudar alguma coisa [em qualquer lugar] fosse preciso sair da caixa, deixando pra lá os métodos, processos, produtos, serviços e, quem sabe, a...

inovação é… criação coletiva

i

 inovação é a mudança de comportamento, no mercado, de fornecedores e consumidores. a definição de peter drucker diz tudo. pra inovar, você muda e, com você, clientes e usuários. quem tem ou pretende ter clientes deveria pensar, sempre, na criação de usuários que amam seus produtos e serviços. mas conceitos e propostas que podem transformar usuários ou criar novas categorias de serviços...

smartX: as oportunidades e os riscos [4]

s

o gráfico a seguir [de gubbi, et al., em Internet of Things (IoT): A vision, architectural elements, and future directions] propõe uma linha do tempo para que as tecnologias da internet das coisas, ou seja, a computação, comunicação e controle por trás dos smartX, cheguem ao mercado. agora, por exemplo, nós deveríamos estar usando armazenamento de informação na nuvem [você tem dropbox, google...

smartX: as oportunidades e os riscos [3]

s

há quem veja a internet das coisas como uma convergência de pelo menos três visões: uma das coisas, pra começar, uma da internet, como não poderia deixar de ser e, o que pode ser surpresa para uns, de semântica, do significado das coisas em rede. semântica entra na equação para unificar as visões de mundo de internet [a realidade vista através das redes] e de coisas [o mundo visto pelos seus...

por Silvio Meira

Pela Rede

silvio meira é PROFESSOR EXTRAORDINÁRIO da cesar.school, PROFESSOR EMÉRITO do CENTRO DE INFORMÁTICA da UFPE, RECIFE e CIENTISTA-CHEFE, The Digital Strategy Company. é fundador e presidente do conselho de administração do PORTO DIGITAL. silvio é professor titular aposentado do centro de informática da ufpe, fundou [em 1996] e foi cientista-chefe do C.E.S.A.R, centro de estudos e sistemas avançados do recife até 2014. foi fellow e faculty associate do berkman center, harvard university, de 2012 a 2015 e professor associado da escola de direito da FGV-RIO, de 2014 a 2017.

Silvio no Twitter

Arquivo