SILVIO MEIRA

a defesa da cidadania

em qualquer lugar, há sempre uma parcela da sociedade que defende o controle de todos e cada um, ao custo que for, pelo estado, à guisa de defender "a sociedade". tal tipo de sustentação serve de base para muito do que é, hoje e em quase todos os países, o aumento da tutela do estado sobre os indivíduos. e isso leva a situações-limite que nos permitem discutir as razões e os porquês de tal controle.

quer ver um caso? pois bem: em minas gerais, a justiça condenou o casal cleber e bernadeth nunes por educar os filhos em casa, apesar das crianças terem sobrevivido a uma bateria de exames de competência intelectual impostos pela justiça. como o estatuto da criança e do adolescente, no artigo 55, reza que "os pais ou responsável têm a obrigação de matricular seus filhos ou pupilos na rede regular de ensino", os pais também foram condenados na área cível. note-se que o movimento "escola em casa" não é uma invenção brasileira; nos EUA, mais de um milhão de crianças e jovens são educados por seus pais ou responsáveis.

e nós diríamos: fazer o que? é a lei e a lei deve ser cumprida. decerto. mas porque é que a lei não diz que "os pais ou responsável têm a obrigação de garantir oportunidades de aprendizado aos filhos ou pupilos, tornando-os capazes de atingir níveis de performance intelectual exigidos na sua cidade, estado e nacionalmente; matricular seus filhos ou pupilos na rede regular de ensino exime os pais de responsabilidade adicional e qualquer outro método estará sujeito a avaliação transparente pelas autoridades competentes".

qual seria o resultado? se me sinto competente para educar meu filho em casa, faço isso bem feito e estou legal. se não me sinto, matriculo os pivetes na rede escolar. se me sinto e não tenho tempo, idem. do jeito que está na lei, posso matricular meus filhos na escola e esquecer o caso. vai ver que é por isso que o brasil está em 57o. lugar no teste PISA [em matemática], entre 65 países. e o casal lá de minas, que realmente se envolveu na educação dos filhos [talvez porque não tenha confiança nas escolas perto deles] é condenado, apesar dos filhos terem passado nos testes a que foram submetidos. um caso paradigmático da sintaxe [a forma] vencendo a semântica [o conteúdo], da maneira mais retrógrada que se pode imaginar, o puro e simples "cumpra-se", fora de qualquer contexto..

taí uma lei pra ser mudada. rapidamente.

mas o estado-babá é pervasivo e se espalha qual vírus. quando se trata inovações de grande impacto, como é o caso da internet e seus usos, aí é que a coisa pega mesmo. na frança, a justiça resolveu multar google um dia destes por desmantelar o modelo de negócios de uma galera que vende mapas. falamos disso aqui no blog; o argumento, lá, é que ninguém pode "dar" mapas, como se não houvesse alguém que "paga" a google pelos mapas que usamos de graça.

falamos, também, da decisão da justiça do espírito santo de proibir contas do twitter que divulguem a localização das blitzes da lei seca:

decisão judicial no espírito santo proibiu o uso de faceBook e twitter para divulgar a localização de blitzes da lei seca. olhando de longe, o ato é razoável e atende a interesse social, de salvaguardar vidas e bens, tentando capturar motoristas guiando sob efeito do álcool. a fundamentação legal e constitucional da decisão é nula, como decerto nos dirão os especialistas muito em breve.

posta a vida acima de tudo [como deve ser, aliás], é razoável usar qualquer mecanismo, mesmo sem fundamentação legal e de causa e consequência na prática, para preservá-la? a resposta é um sonoro não, como nos mostra a intervenção do ministério público federal de goiás em caso similar ao do espírito santo. em goiás, a advocacia geral da união entrou na justiça contra o twitter solicitando que as contas que divulgam a localização das blitzes da lei seca sejam canceladas.

como twitter é um site americano, regido pelas leis dos estados unidos [onde é legal usar detetores de radar em veículos privados e portar armas de grosso calibre em quase todos os estados] não se pode saber, pra começar, qual é a efetividade da ação da AGU, caso a justiça lhe dê ganho de causa. em última análise, a única forma de cumprir tal decisão judicial seria "filtrar o twitter" à la china, barrando todo o site para o brasil e "tirando do ar" as contas de 33 milhões de brasileiros [segundo maior contingente do planeta, como mostra o gráfico abaixo]. na remota hipótese deste ser o caso… entraríamos em uma nova era de controle do cidadão pelo estado no brasil, similar à ditadura de 64 em seus piores dias.

twitter users global brazil 2nd

mas não deve ser este o resultado da ação em goiás, e boa parte da razão é a argumentação do MPF contra a demanda da AGU, que você pode ver em detalhe neste link. o procurador regional dos direitos do cidadão, ailton benedito, diz em todas as letras que

“é absolutamente irracional, desde a pressuposição de convivência em sociedade aberta, constituída sobre os alicerces de liberdade, que se divise alguma possibilidade de se impedir o livre fluxo de informações pela internet”.

…em um documento de 29 páginas [na íntegra, em .PDF, neste link] que deveria se tornar obrigatório para o entendimento jurídico do que é a rede, seus usos, o papel do governo e o que nós, cidadãos, podemos fazer… inclusive dizer onde, em pleno meio da rua, visível aos olhos de todos, está uma barraca de coco, um bloco de carnaval, um buraco gigante e… uma blitz da lei seca. o texto do procurador da república começa estabelecendo onde está a internet na sociedade e sua relação com o estado [grifos e observações do blog]…

A história da humanidade conforma-se com a história da comunicação. O ser humano é, à medida que se comunica, que adquire conhecimentos dos repositórios antepassados, que os internaliza, que os transmite para os semelhantes das presentes e das futuras gerações. Pois, qual o instrumento que serve à comunicação humana, senão a linguagem, entendida como condição de possibilidade de conhecimento, eis que: “a) o conhecimento ocorre na linguagem; b) é na linguagem que há a surgência do mundo; c) é na linguagem que o sujeito surge-aparece-ocorre; d) é na linguagem que ocorre a ação; e e) é na linguagem que se dá o sentido” [aqui, o procurador cita streck, hermenêutica jurídica].

Sobrelevando-se os limites cognitivos ora em discussão, é apropriado saber que, na atual quadra histórica, a internet se constitui meio, instrumento material da linguagem e, por conseguinte, da maximização da comunicação humana. Apesar disso, entremostra-se a impressão de que a internet evolui mais rápida e inexorável do que poderiam desconfiar os mais otimistas e do que suportariam passivamente os Estados-governos, perpassando-se da condição de meio, de instrumento material para se convolar uma linguagem mesma, de modo que indistinguível. O ser humano passa a ter no binômio linguagem-internet uma nova condição de possibilidade de conhecimento.

na página 24, diz o procurador ailton benedito…

…a Constituição Federal, artigo 37, ordena que a “Administração Pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedeça, sincrônica e coerentemente, aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência”. Quer-se, com isso, asseverar que os órgãos e instituições do Estado somente podem agir em face dos indivíduos e demais sujeitos, nos termos em que a Constituição e a lei ordenam, pautando-se pela transparência e igualdade, com vistas a fins efetivamente úteis à sociedade.

e continua, na página 25:

Consequência lógica: o Estado-governo não pode agirmuito menos QUERER agir – na clandestinidade, à sorrelfa, às escondidas, porquanto se agisse assim violaria os princípios da publicidade, da moralidade, da eficiência. Nessa ordem de raciocínio, a legislação de trânsito, em sua índole, pretende ter caráter preventivo e educativo, baseada toda ela no princípio da publicidade. Cada restrição e consequente infração, ou possibilidade de infração, devem ser amplamente divulgadas. Esse é o fundamento das placas de trânsito, da sinalização vertical e horizontal. O que não está sinalizado não fundamenta sanção, segundo prescreve o artigo 90 do Código de Trânsito Brasileiro.

ainda na página 25

Quantos acidentes de trânsito foram causados pela ingestão de álcool? 30%? E os outros 70%, foram causados pela ingestão de água? Proibir-se-á que se beba água? Quantos acidentes foram causados pela má conservação das rodovias federais? O que a UNIÃO FEDERAL, pela sua Advocacia-Geral, pretende que se faça com as autoridades federais que, omitindo-se de cumprirem os seus deveres-poderes, concorrem para acidentes automobilísticos? Pretende impedir que elas gastem o tempo navegando na internet?

na página 26

De outra parte, ressalta-se, uma vez mais, o que se deixou vincado acima, quanto à internet, meio de livre circulação de ideias e informações, algumas relevantes, outras nem tanto. Ela se integra numa nova configuração da vida em sociedade, que envolve a conexão virtual da espécie humana. Todos conectados todo o tempo; todos online. Essa a realidade que o Estado-governo não alcança obstaculizar.

Além de tudo isso, se o Estado-governo pretende proibir o conteúdo das mensagens na internet sobre trânsito, obrigar-se-ia a proibir todas as estações de rádio que se dedicam (algumas com exclusividade) a noticiar exatamente os incidentes de trânsito – aí incluídas as blitzes. Mas quem controlaria conteúdo das mensagens da internet? Novos censores? Visando tonar efetiva a pretensão, se fosse acolhida, necessitaria ser tão abrangente e profunda, que os “censores” precisariam vasculhar o conteúdo de todas aquelas redes sociais enumeradas alhures e infinitas outras, as mensagens do Twitter, todos os e-mails, todos os SMSs, BBMs, Facebook, etc.

finalmente, diz o procurador ailton benedito à pagina 28, concluindo:

Expostos os argumentos acima, outras conclusões não se atingem, senão que: a) a petição inicial da demanda é inepta, porque não atende completamente os requisitos fixados pelo Código de Processo civil; b) pretensão veiculada não guarda interesse útil à alteração da realidade prática; e c) a mesma pretensão não acha guarida no ordenamento jurídico; mais que isso, até, a sua possibilidade é rechaçada peremptoriamente pela Constituição Federal, pela Convenção Americana dos Direitos Humanos.

Em função dessas conclusões, é inelutável compreender que a UNIÃO FEDERAL não tem direito ao provimento de mérito concernente à sua pretensão. A fortiori, coerentemente, a antecipação liminar da tutela não merece sorte diferente.

espera-se, agora, a manifestação da justiça federal. e comemora-se, desde já e qualquer que seja o resultado parcial, pois trata-se de uma longa luta em que vamos ter que defender o tempo todo a liberdade de expressão em rede e fora dela, o papel exemplar do ministério público federal na defesa dos direitos do cidadão.

a opinião do blog está neste link e concorda, em gênero, número e grau com o MPF.GO: não só, neste caso, é proibido proibir, mas é inútil proibir, como sabe qualquer um que faz uso de apps de compartilhamento de informação de trânsito sobre mapas…

estivéssemos na china ou outras geografias louvadas e visitadas pelos nossos governantes, bastaria algum burocrata cuspir uma regra e chau!… teria sido o twitter barrado nos roteadores da internet.BR. a proposição da AGU, a defesa do cidadão pelo MPF, o julgamento em goiás e, quem sabe, até o supremo, são parte do que se costuma chamar "o bom funcionamento das instituições democráticas". ainda bem que, nem que seja só por isso, estamos no brasil.

agora, é torcer para que a justiça decida pela liberdade e, depois, pensar no que fazer se não for este o caso. porque, então, estaríamos cada vez mais parecidos com china, cuba, ou irã. que não são onde eu, particularmente, quero viver. e você?…

Outros posts

EFEITOS de REDE

Este post é um índice de leitura dos textos da série “Efeitos de Rede e Ecossistemas Figitais”, com a co-autoria de André Neves. O texto

O Risco dos Manifestos

Um manifesto é sempre algo [muito] arriscado. Porque um manifesto expressa uma insatisfação com a realidade estabelecida, imediata, ao nosso redor. Um manifesto  não é

IA, no blog: Sugestões de Leitura

Se você está procurando textos sobre IA por aqui… Comece pela série E AÍ… IA: o primeiro texto, Introdução, está no link… tinyurl.com/2zndpt3r; o segundo,

E AÍ… IA [III]

Mas IA, de onde vem, pra onde vai?…   No futuro, há três tipos de inteligência: individual, social e artificial. E as três já são

E AÍ… IA [II]

Trabalho, Emprego e IA   Há uma transformação profunda do trabalho e da produção, como parte da transformação figital dos mercados, da economia e da

EFEITOS DE REDE E ECOSSISTEMAS FIGITAIS [XV]

Uma série, aqui no blog [o primeiro texto está em… bit.ly/3zkj5EE, o segundo em bit.ly/3sWWI4E, o terceiro em bit.ly/3ycYbX6, o quarto em… bit.ly/3ycyDtd, o quinto

E AÍ, IA… [I]

IA fará com que todos sejam iguais em sua capacidade de serem desiguais. É o maior paradoxo desde que Yogi Berra disse… ‘Ninguém mais vai

Efeitos de Rede e Ecossistemas Figitais [XII]

Uma série, aqui no blog [o primeiro texto está em… bit.ly/3zkj5EE, o segundo em bit.ly/3sWWI4E, o terceiro em bit.ly/3ycYbX6, o quarto em… bit.ly/3ycyDtd, o quinto

Efeitos de Rede e Ecossistemas Figitais [xi]

Uma série, aqui no blog [o primeiro texto está em… bit.ly/3zkj5EE, o segundo em bit.ly/3sWWI4E, o terceiro em bit.ly/3ycYbX6, o quarto em… bit.ly/3ycyDtd, o quinto

Efeitos de Rede e Ecossistemas Figitais [x]

Uma série, aqui no blog [o primeiro texto está em… bit.ly/3zkj5EE, o segundo em bit.ly/3sWWI4E, o terceiro em bit.ly/3ycYbX6, o quarto em… bit.ly/3ycyDtd, o quinto

Efeitos de Rede e Ecossistemas Figitais [ix]

Uma série, aqui no blog [o primeiro texto está em… bit.ly/3zkj5EE, o segundo em bit.ly/3sWWI4E, o terceiro em bit.ly/3ycYbX6, o quarto em… bit.ly/3ycyDtd, o quinto

Efeitos de Rede e Ecossistemas Figitais [vi]

Uma série, aqui no blog [o primeiro texto está em… bit.ly/3zkj5EE, o segundo em bit.ly/3sWWI4E, o terceiro em bit.ly/3ycYbX6, o quarto em… bit.ly/3ycyDtd, o quinto

Efeitos de Rede e Ecossistemas Figitais [v]

Uma série, aqui no blog [o primeiro texto está em… bit.ly/3zkj5EE, o segundo em bit.ly/3sWWI4E, o terceiro em bit.ly/3ycYbX6, o quarto em… bit.ly/3ycyDtd, o quinto

Efeitos de Rede e Ecossistemas Figitais [iv]

Uma série, aqui no blog [o primeiro texto está em… bit.ly/3zkj5EE, o segundo em bit.ly/3sWWI4E, o terceiro em bit.ly/3ycYbX6, o quarto em… bit.ly/3ycyDtd, o quinto

chatGPT: cria ou destrói trabalho?

O potencial de relevância e impacto inovador de transformadores [veja A Grande Transformação dos Transformadores, em bit.ly/3iou4aO e ChatGPT is everywhere. Here’s where it came

A Grande Transformação dos Transformadores

Um transformador, na lembrança popular, era [ainda é] a série de filmes [Transformers, bit.ly/3Qp97cu] onde objetos inanimados, inconscientes e -só por acaso- alienígenas, que existiam

Começou o Governo. Cadê a Estratégia?

Estamos em 02/01/2023. Ontem foram as posses e os discursos. Hoje começam a trabalhar um novo Presidente da República, dezenas de ministros e ainda serão

23 anotações sobre 2023 [xxiii]

Este é o 23° de uma série de textos sobre o que pode acontecer, ou se tornar digno de nota, nos próximos meses e poucos

23 anotações sobre 2023 [xxii]

Este é o 22° de uma série de textos curtos, de uns poucos parágrafos e alguns links, sobre o que pode acontecer, ou se tornar

23 anotações sobre 2023 [xxi]

Este é o 21° de uma série de textos curtos, de uns poucos parágrafos e alguns links, sobre o que pode acontecer, ou se tornar

23 anotações sobre 2023 [xx]

Este é o 20° de uma série de textos curtos, de uns poucos parágrafos e alguns links, sobre o que pode acontecer, ou se tornar

23 anotações sobre 2023 [xix]

Este é o 19° de uma série de textos curtos, de uns poucos parágrafos e alguns links, sobre o que pode acontecer, ou se tornar

23 anotações sobre 2023 [xviii]

Este é o 18° de uma série de textos curtos, de uns poucos parágrafos e alguns links, sobre o que pode acontecer, ou se tornar

23 anotações sobre 2023 [xvii]

Este é o 17° de uma série de textos curtos, de uns poucos parágrafos e alguns links, sobre o que pode acontecer, ou se tornar

23 anotações sobre 2023 [xvi]

Este é o 16° de uma série de textos curtos, de uns poucos parágrafos e alguns links, sobre o que pode acontecer, ou se tornar

23 anotações sobre 2023 [xv]

Este é o 15° de uma série de textos curtos, de uns poucos parágrafos e alguns links, sobre o que pode acontecer, ou se tornar

23 anotações sobre 2023 [xiv]

Este é o décimo quarto de uma série de textos curtos, de uns poucos parágrafos e alguns links, sobre o que pode acontecer, ou se

23 anotações sobre 2023 [xiii]

Este é o décimo terceiro de uma série de textos curtos, de uns poucos parágrafos e alguns links, sobre o que pode acontecer, ou se

23 anotações sobre 2023 [xii]

Este é o décimo segundo de uma série de textos curtos, de uns poucos parágrafos e alguns links, sobre o que pode acontecer, ou se

23 anotações sobre 2023 [xi]

Este é o décimo primeiro de uma série de textos curtos, de uns poucos parágrafos e alguns links, sobre o que pode acontecer, ou se

23 anotações sobre 2023 [x]

Este é o décimo de uma série de textos curtos, de uns poucos parágrafos e alguns links, sobre o que pode acontecer, ou se tornar

23 anotações sobre 2023 [ix]

Este é o nono de uma série de textos curtos, de uns poucos parágrafos e alguns links, sobre o que pode acontecer, ou se tornar

23 anotações sobre 2023 [viii]

Este é o oitavo de uma série de textos curtos, de uns poucos parágrafos e alguns links, sobre o que pode acontecer, ou se tornar

23 anotações sobre 2023 [vii]

Este é o sétimo de uma série de textos curtos, de uns poucos parágrafos e alguns links, sobre o que pode acontecer, ou se tornar

23 anotações sobre 2023 [vi]

Este é o sexto de uma série de textos curtos, de uns poucos parágrafos e alguns links, sobre o que pode acontecer, ou se tornar

23 anotações sobre 2023 [v]

Este é o quinto de uma série de textos curtos, de uns poucos parágrafos e alguns links, sobre o que pode acontecer, ou se tornar

23 anotações sobre 2023 [iv]

Este é o quarto de uma série de textos curtos, de uns poucos parágrafos e alguns links, sobre o que pode acontecer, ou se tornar

23 anotações sobre 2023 [iii]

Este é o terceiro de uma série de textos curtos, de uns poucos parágrafos e alguns links, sobre o que pode acontecer, ou se tornar

23 anotações sobre 2023 [ii]

Este é o segundo de uma série de textos curtos, de uns poucos parágrafos e alguns links, sobre o que pode acontecer, ou se tornar

23 anotações sobre 2023 [i]

Esta é uma série de textos curtos, de uns poucos parágrafos e alguns links, sobre o que pode acontecer, ou se tornar digno de nota,

Efeitos de Rede e Ecossistemas Figitais [ii]

Uma série, aqui no blog [o primeiro texto está em… bit.ly/3zkj5EE, o segundo em bit.ly/3sWWI4E, o terceiro em bit.ly/3ycYbX6, o quarto em… bit.ly/3ycyDtd, o quinto

Efeitos de Rede e Ecossistemas Figitais [i]

Uma série, aqui no blog [o primeiro texto está em… bit.ly/3zkj5EE, o segundo em bit.ly/3sWWI4E, o terceiro em bit.ly/3ycYbX6, o quarto em… bit.ly/3ycyDtd, o quinto

O Metaverso, Discado [4]

Este é o quarto post de uma série dedicada ao metaverso. É muito melhor começar lendo o primeiro [aqui: bit.ly/3yTWa3g], que tem um link pro

O Metaverso, Discado [3]

Este é o terceiro post de uma série dedicada ao metaverso. É muito melhor começar lendo o primeiro [aqui: bit.ly/3yTWa3g], que tem um link pro

O Metaverso, Discado [2]

Este é o segundo post de uma série dedicada ao metaverso. É muito melhor ler o primeiro [aqui: bit.ly/3yTWa3g] antes de começar a ler este aqui. Se puder, vá lá, e volte aqui.

O Metaverso, Discado [1]

O metaverso vai começar “discado”. E isso é bom. Porque significa que vai ser criado e acontecer paulatinamente. Não vai rolar um big bang vindo

chega de reuniões

um ESTUDO de 20 empresas dos setores automotivo, metalúrgico, elétrico, químico e embalagens mostra que comportamentos disfuncionais em REUNIÕES [como fugir do tema, reclamar, criticar…

Definindo “o” Metaverso

Imagine o FUTEBOL no METAVERSO: dois times, A e B, jogam nos SEUS estádios, com SUAS bolas e SUAS torcidas. As BOLAS, cada uma num

Rupturas, atuais e futuras,
no Ensino Superior

Comparando as faculdades com outras organizações na sociedade,percebe-se que sua peculiaridade mais notável não é seu produto,mas a extensão em que são operadas por amadores.

O que é Estratégia?

A primeira edição do Tractatus Logico-Philosophicus [TLP] foi publicada há exatos 100 anos, no Annalen der Naturphilosophie, Leipzig, em 1921. Foi o único livro de

O Brasil Tem Futuro?

Uma das fases mais perigosas e certamente mais danosas para analisar e|ou entender o nosso país é a de que “O Brasil é o país

Os Velhos Envelopes, Digitais

Acho que o último envelope que eu recebi e não era um boleto data da década de 1990, salvo uma ou outra exceção, de alguém

Houston, nós temos um problema…

Este texto é uma transcrição editada de uma intervenção no debate “De 1822 a 2022 passando por 1922 e imaginando 2122: o salto [?] da

Pessoas, Games, Gamers, Cavalos…

Cartas de Pokémon voltaram à moda na pandemia e os preços foram para a estratosfera. Uma Charizard holográfica, da primeira edição, vale dezenas de milhares

As Redes e os Currais Algorítmicos

Estudos ainda limitados[1] sobre política e sociedade mostram que a cisão entre centro [ou equilíbrio] e anarquia [ou caos] é tão relevante quanto a divisão

O Trabalho, em Transição

Trabalho e emprego globais estão sob grande impacto da pandemia e da transformação digital da economia, em que a primeira é o contexto indesejado que

O ano do Carnaval que não houve

Dois mil e vinte e um será, para sempre, o ano do Carnaval que não houve. Quem sentirá na alma são os brincantes para quem

Rede, Agentes Intermediários e Democracia

Imagine um provedor de infraestrutura e serviços de informação tomando a decisão de não trabalhar para “um cliente incapaz de identificar e remover conteúdo que

21 anotações sobre 2021

1 pode até aparecer, no seu calendário, que o ano que vem é 2021. mas não: é 2025. a aceleração causada por covid19, segundo múltiplas

A Humanidade, em Rede

Redes. Pessoas, do mundo inteiro, colaborando. Dados, de milhares de laboratórios, hospitais, centros de pesquisa e sistemas de saúde, online, abertos, analisados por sistemas escritos

tecnologia e[m] crises

tecnologia, no discurso e entendimento contemporâneo, é o mesmo que tecnologias da informação e comunicação, TICs. não deveria ser, até porque uma ponte de concreto

o que aconteceu
no TSE ontem?

PELA PRIMEIRA VEZ em muitos anos, o BRASIL teve a impressão de que alguma coisa poderia estar errada no seu processo eleitoral, e isso aconteceu

CRIAR um TEMPO
para o FUTURO

em tempos de troca de era, há uma clara percepção de que o tempo se torna mais escasso. porque além de tudo o que fazíamos

Duas Tendências Irreversíveis, Agora

O futuro não acontece de repente, todo de uma vez. O futuro é criado, paulatinamente, por sinais vindos de lá mesmo, do futuro, por caminhos

futuro: negócios e
pessoas, figitais

em tempos de grandes crises, o futuro, às vezes mais do que o presente, é o centro das preocupações das pessoas, famílias, grupos, empresas e

bom senso & saber

uma pergunta que já deve ter passado pela cabeça de muita gente é… o que é o bom senso, e como é que a gente

uma TESE são “só” 5 coisas…

…e uma dissertação e um trabalho de conclusão de curso, também. este post nasceu de um thread no meu twitter, sumarizando perguntas que, durante a

os novos NORMAIS serão FIGITAIS

há muitas empresas achando que… “agora que COVID19 está passando, bora esquecer essa coisa de DIGITAL e trazer os clientes de volta pras lojas”… enquanto

Novas Formas de Pensar em Tempos Incertos

O HOMO SAPIENS anatomicamente moderno tem ceca de 200.000 anos. Há provas de que tínhamos amplo controle do fogo -talvez “a” tecnologia fundadora da humanidade-

Efeitos não biológicos de COVID19

A PARTIR do que já sabemos, quais os impactos e efeitos de médio e longo prazo da pandemia?… O que dizem as pesquisas, não sobre

APRENDER EM VELOCIDADE DE CRISE

TODOS OS NEGÓCIOS estiveram sob gigantesca pressão para fazer DUAS COISAS nas últimas semanas, quando cinco décadas de um processo de transformação digital que vinha,

UM ANTIVÍRUS para a HUMANIDADE

SARS-COV-2 é só um dos milhares de coronavírus que a ciência estima existir, ínfima parte dos 1,7 milhões de vírus desconhecidos que os modelos matemáticos

Mundo Injusto, Algoritmos Justos?

Se um sistema afeta a vida das pessoas, exige-se que seu comportamento seja justo. Pelo menos no que costumamos chamar de civilização. Ser justo é

Das nuvens, também chovem dados

Há uns meses, falamos de Três Leis da Era Digital, inspiradas nos princípios de Asimov para a Robótica. As Leis eram… 1ª: Deve-se proteger os

As Três Leis da Era Digital

Há setenta e oito anos, Isaac Asimov publicava a primeira versão do que todos conhecem como as Três Leis da Robótica[1]. A Primeira diz que

Silvio Meira é cientista-chefe da TDS.company, professor extraordinário da CESAR.school e presidente do conselho do PortoDigital.org

contato@tds.company

Rua da Guia, 217, Porto Digital Recife.

tds.company
somos um negócio de levar negócios para o futuro, nosso objetivo é apoiar a transformação de negócios nascentes e legados nas jornadas de transição entre o presente analógico e o futuro digital.

strateegia
é uma plataforma colaborativa de estratégia digital para adaptação, evolução e transformação de negócios analógicos em plataformas e ecossistemas digitais, desenvolvido ao longo de mais de uma década de experiência no mercado e muitas na academia.