olhe para o diagrama abaixo, da vision mobile

image

…descrevendo [parcial, abstratamente] a ecologia de android, e se pergunte o que mudou no cenário econômico de mobilidade de uns tempos pra cá.

o relatório de onde esta imagem veio é bem recente e analisa como marcas e desenvolvedores estão tentando ganhar dinheiro numa nova economia de mobilidade, representada pelas "grandes plataformas" como android, iOS, RIM e windowsPhone, que vem por aí.

se você ainda não notou o que mudou, aqui vai: olhe à direita, onde está o smartphone, e veja que ele é descrito como sendo fabricado por "OEMs", que vem a ser "original equipment manufacturers", a galera que faz os aparelhos a partir de projeto, ordem e encomenda de terceiros. no caso da apple, isso é a mais pura verdade: a empresa de cupertino não tem fábrica há tempos e usa uma ampla rede de fornecedores e fabricantes para fazer os produtos que levam sua marca.

no caso de google, isso é menos claro mas o diagrama, forçando a barra, mostra como as coisas estão se desenrolando para os fabricantes de hardware e serve para explicar um bom conjunto de coisas sobre muitos deles.

ao não perceberem que o aumento significativo da sofisticação dos equipamentos iria centrar a percepção de valor do usuário na experiência de uso, provida pelo hardware mas controlada e apresentada pelo software, os fabricantes cuja especialização era mais claramente de hardware parecem ter perdido o bonde da história e entregue o valor de suas ecologias às empresas que controlam a plataforma, como apple, google e microsoft.

no caso da terceira, isso já era verdade há tempos, mesmo sem o controle radical exercido pela apple. qualquer máquina rodando windows é uma máquina rodando windows, seja ela qual for, e é exatamente isso que permite que, ao não gostar do meu atual provedor de hardware ["meu" OEM] eu troque para outro num piscar de olhos, sem perder nada significativo da experiência de uso.

a apple pode trocar de fornecedor –OEM- sem que você perceba. a microsoft já podia desde o princípio pois, ao contrário da apple, nunca foi fabricante de hardware. e agora, google: se podemos trocar nosso android X por um Y sem que uma parte significativa da experiência de uso seja modificada… é porque o fornecedor de smartphones foi reduzido a um OEM e vai ter que ralar muito, muito mesmo, para se diferenciar de dezenas ou centenas de outros que estão fazendo [quase o] mesmo hardware.

na minha ou sua mão, o que vai interessar mesmo são as camadas acima do físico, onde a sorte da plataforma é decidida…