por Silvio Meira

separações sociais…

s

dados de março passado dizem que faceBook é citado em 1/5 das separações nos EUA. dados ingleses de dezembro informam que 1/3 de todas as disputas judiciais entre [ex-]casais contém a palavra faceBook em algum lugar do processo. há dois anos, eram 1/5. os dados da ilha, obtidos por divorce-online, revelam que as três maiores razões onde  faceBook é citado como prova são: 1. mensagens a pessoas do sexo oposto; 2. um ex-detonando o outro na rede e 3. conhecidos "dedando" comportamento fora da linha de um dos membros do casal. no último caso, como bem se conhece nas pequenas comunidades, trata-se de fuxico puro.

faceBook detém 20% de todo o tempo de uso da internet no planeta. e isso acontece porque [nos EUA, UK…] mais de 3/4 dos usuários ativos da rede está em faceBook, a vasta maioria todo dia. a mesma coisa começa a rolar por aqui [veja os gráficos depois deste parágrafo, de comScore]. no topo disso, o tempo de uso das redes sociais no brasil é maior que a média, e [surpreendentemente?…] europa e américa. uma pesquisa recente em países representativos da web também mostra que falamos mais: 35% dos brasileiros compartilha conteúdo frequentemente; só 8% dos ingleses e 12% dos americanos faz o mesmo. estamos entre os os chineses, 45%, e os indianos, 32%. resultado? breve, também por aqui, uma grande onda de disputas onde "faceBook" será mencionado como parte do processo.

image

estranho? de jeito nenhum. no tempo do telefone [velho, fixo] tancredo neves costumava dizer que “telefone serve no máximo para marcar encontro, de preferência no lugar errado”. um grande número de escândalos do passado tinha dois ou mais telefones, detetives e grampos. as ligações, hoje, saíram das telecomunicações para as redes sociais. ao ponto dos jovens mudarem seu status de relacionamento em faceBook minutos depois que um namoro [ou coisa parecida] acaba. a norma, pois, é que faceBook e quetais sejam parte, cada vez mais, dos nossos relacionamentos, disputas, vida. afinal, foi pra lá que transferimos parte significativa das nossas transações sociais.

Relógio

em dezembro de 2011 e janeiro de 2012, o blog publica [ao contrário da norma, aqui] bits: textos pequenos, bem mais frequentes, sobre nossa [mundana] vida digital. ao invés dos raciocínios estruturados e interligados de costume, vamos nos ater a TRÊS parágrafos, no máximo. boa leitura.

Sobre o autor

Silvio Meira

silvio meira é cientista-chefe da TDS.company, professor extraordinário da CESAR.school e presidente do conselho do portodigital.org

por Silvio Meira
por Silvio Meira

Pela Rede

silvio meira é PROFESSOR EXTRAORDINÁRIO da cesar.school, PROFESSOR EMÉRITO do CENTRO DE INFORMÁTICA da UFPE, RECIFE e CIENTISTA-CHEFE, The Digital Strategy Company. é fundador e presidente do conselho de administração do PORTO DIGITAL. silvio é professor titular aposentado do centro de informática da ufpe, fundou [em 1996] e foi cientista-chefe do C.E.S.A.R, centro de estudos e sistemas avançados do recife até 2014. foi fellow e faculty associate do berkman center, harvard university, de 2012 a 2015 e professor associado da escola de direito da FGV-RIO, de 2014 a 2017.

Silvio no Twitter

Arquivo